quarta-feira, 1 de outubro de 2014

Sesc Esplanada ficará cor de rosa em outubro

Sistema Fecomércio -Sesc-Senac no "Outubro Rosa"  
O Serviço Social do Comércio em Rondônia mais uma vez adere à campanha Outubro Rosa. Neste mês inteiro, todas as mulheres que frequentam as unidades Esplanada, Centro e Campestre, poderão contar com uma programação especial. A coordenação de Saúde estará realizando palestras educativas tanto nas unidades quanto em escolas municipais em Porto Velho.

As palestras sobre o câncer de mama e de colo de útero serão realizadas nas escolas municipais Ulisses Soares (20/10), Antônio Ferreira da Silva (22/10), Estela Compasso (24/10), sempre das 18h às 20h30. A palestra no Sesc Esplanada acontecerá em parceria com a Unimed, no dia 14 de outubro, às 16 horas, no Teatro 1. O Sesc Centro também contará com uma programação diferenciada, através de áudios que serão veiculados no local nos horários de atendimento.

O destaque deste ano fica por conta da iluminação do entorno do Sesc Esplanada, que receberá um toque especial. Durante todo o mês ficará rosa. Essa iniciativa de iluminar locais e monumentos em adesão à campanha teve a primeira iniciativa vista no Brasil no dia 02 de outubro de 2002, quando o Mausoléu do Soldado Constitucionalista, mais conhecido como o Obelisco do Ibirapuera, em São Paulo, ficou iluminado de rosa.

O câncer de mama é o mais incidente na população feminina mundial e brasileira — excetuando-se os casos de câncer de pele não melanoma e da próstata. O Instituto Nacional do Câncer (Inca) estimou no final do ano passado, que 2014 teriam 57 mil novos casos de câncer de mama no país.

“Dados atuais confirmam que o câncer de mama é o que mais mata mulheres no mundo. Sabemos que prevenção é importante porque, quando detectado precocemente, as chances de cura são de quase 100%. O Sistema Fecomércio através do Sesc já desenvolve atividades de conscientização, e é claro, que neste evento tão importante, não poderia ficar de fora” destacou o presidente do Sistema Fecomércio/Sesc/Senac, Raniery Araújo Coelho.

O Outubro Rosa, é uma ação de conscientização mundial que é promovida por diversas entidades, com o intuito de ressaltar a importância da prevenção e combate do diagnóstico precoce do câncer de mama. O movimento surgiu em 1990 em Nova York e desde então é promovido anualmente em várias cidades do mundo.

terça-feira, 30 de setembro de 2014

Exposição “Dos Dias em que a Ausência é Marca” inicia nessa sexta-feira (3) na galeria de artes do Sesc Centro

O Sesc através do projeto Sesc Amazônia das Artes, irá receber no dia 3 de outubro, a exposição “Dos dias em que a ausência é marca” do artista plástico Dinho Araújo. O público pode conferir gratuitamente até o dia 24 de outubro de segunda a sexta, das 8h às 16h e aos sábados 11h às 14h, na galeria de artes do Sesc Centro.

Composta por fotos, objetos e um vídeo-dança, a exposição “Dos Dias em que a Ausência é Marca” retrata o olhar crítico e poético sobre a construção da identidade, deslizando entre as fronteiras da experiência afetivas do artista e das representações ideológicas sobre a cidade de São Luiz.

Além da exposição o artista ainda irá ministrar o Workshop que acontece no Campus da Unir, nesta segunda-feira (5). O tema “Sabotagem poética: contra narrativas no espaço público urbano” trabalha técnicas como stencil, colagem e fotografia lambe-lambe, noções de "sabotagem poética", com imagens e textos do cotidiano construindo experiências estéticas como uma nova forma de perceber o espaço urbano. As inscrições estão sendo realizadas no departamento de artes da Unir ou na coordenação de cultura com a Michele Saraiva. Pode participar maiores de 16 anos.

Dinho Araújo

Arte/Educador, designer e artista plástico, Dinho Araújo é mestre em Antropologia pela UFPB (Universidade Federal da Paraíba) e professor temporário do Departamento de Artes da UFMA (Universidade Federal do Maranhão) entre 2012 e 2013. Participou das diversas mostras, como: I Salão de Jovens Talentos de Artes Visuais da Galeria Maggiorasca (2008); Concurso Arvoredo X, realizado pelo Centro de Cultura Popular Domingos Vieira Filho; I Salão de Artes Visuais da Prefeitura de São Luís (2010); 3º Salão de Artes Plásticas da Prefeitura de São Luís (2012), prêmio de melhor trabalho na categoria videoinstalação; Participação na 10º Mostra Coletiva do Grupo Icnos (2013) – Sesc; Mostra de Intervenção Urbana “Desacordo Poético” (2013), apresentada na programação do Projeto Múltiplos Olhares (Sesc); 7ª Feira do Livro de São Luís (Fundação Municipal de Cultura) e 8ª Aldeia Sesc Guajajara de Artes.

Sesc Amazônia das Artes 

É um projeto que acontece durante uma semana e é composto por espetáculos de dança, música, teatro e exposição de artes plásticas. É realizado pelos regionais da Amazônia legal juntamente com o Sesc Piauí e Mato grosso do sul. Acontece de forma simultânea durante dez dias em todos os regionais participantes. A realização desse projeto possibilita a itinerância dos artistas amazônicos pelos vários estados da Região Norte, facilitando a integração e o acesso à produção artística que encontra grande dificuldade de difusão.

segunda-feira, 29 de setembro de 2014

7ª edição do Festival Palco Giratório é sucesso

"As nove luas" Cia de Artes Fiasco (RO) apresentado sábado na quadra coberta do Sesc Esplanada
Foto: Eliane Viana
Neste final de semana dois espetáculos emocionaram o público no encerramento do Festival Palco Giratório. Sábado (27) “As nove luas” foi apresentado na quadra coberta do Sesc Esplanada e chamou a atenção do público para o que acontece quando uma lenda é utilizada para encobrir faltas da sociedade. A peça discute o abuso sexual sofrido por meninas ribeirinhas, assédio que muitas vezes acontece dentro da própria casa e que deixam marcas profundas em quem vive esse tipo de situação. O espetáculo contemplado com o Prêmio Funarte de Teatro Myriam Muniz 2013 é uma produção rondoniense que vem tendo destaque por sua temática e inovação. Iluminação, desempenho das atrizes e a música ao vivo, composta especialmente para o espetáculo chamam a atenção do público e enriquecem a dramaturgia de Fabiano Barros.
"Mãe Coragem" com Teatro a cuestas de Cuba (Cuba) grupo convidado deste domingo (28)
Foto: Leonardo Valério
Domingo (28), o Teatro a Cuestas de Cuba de Cuba (Cuba) apresentou o monólogo “Mãe Coragem” que relata a história de Anna Fierling, vendedora ambulante que perde seus filhos durante a guerra. Em cena a atriz cubana Mérida Urquia dá vida “Mãe Coragem” de forma comovente e transmite ao público as dores de uma mãe ao ver seus filhos serem dizimados pelas atrocidades da guerra.

Setembro foi um mês de espetáculos, oficinas e troca de experiências. Em sua sétima edição, o Festival Palco Giratório já faz parte do calendário cultural do estado. 2014 foi ainda mais especial, pois pela primeira vez Rondônia foi sede da abertura do Festival em âmbito nacional. Este ano 19 grupos de 13 estados brasileiros compartilharam sua arte com espectadores de todo o estado. Hospitais e escolas de bairros periféricos receberam atenção no circuito com apresentações especial. Grupos convidados de Rondônia, Maranhão e Cuba se juntam ao projeto e ampliam o alcance da mostra. Na circulação estadual sete cidades foram beneficiadas e Ji-Paraná teve uma semana de mostra. Milhares de expectadores do interior prestigiaram as apresentações, uma oportunidade rara para muitos. O Sistema Fecomércio, amplia o investimento em cultura, através do Sesc Rondônia. “Nosso desejo é levar a cultura a todos os municípios de Rondônia e beneficiar aquelas cidades que não tem acesso ao entretenimento e lazer”, explica Raniery Araújo Coelho, presidente da Fecomércio.
 
Palita no Trapézio levando alegria ao Hospital Infantil Cosme e Damião
Um dos depoimentos mais comoventes desta edição aconteceu no Hospital Infantil Cosme e Damião quando uma mãe agradeceu imensamente a presença da equipe do Festival Palco Giratório dentro do hospital, pois a apresentação de Palita no Trapézio fez o seu filho sorrir, coisa que ela não via há muito tempo. Essa é a magia da arte, mexer com os sentimentos, provocar reações de inquietude nas pessoas. Nas apresentações realizadas no anfiteatro do Parque da Cidade o clima festivo envolvia famílias inteiras que assistiam aos espetáculos. No teatro 1 do Sesc Esplanada apresentações que faziam sorrir ou refletir. A diversidade dos espetáculos chamou a atenção do público. Muitas pessoas que nunca haviam assistido a uma peça teatral tiveram essa oportunidade.  O funcionário público e acadêmico André Cerqueira diz que acompanha o Festival há uns dois anos e que esse ano mudou até o horário do curso na faculdade para poder acompanhar a programação.
 
"Qualquer coisa a gente muda" trouxe a homenageada do Festival este ano, Angel Vianna
Foto: Eliane Viana
A homenageada do Festival Palco Giratório deste ano, Angel Vianna, fez duas apresentações e falou da sua trajetória. A bailarina e coreógrafa brasileira conhecida como "a dama da dança" é referência da dança contemporânea no Brasil. Nas duas noites o público além de assistir a apresentação do espetáculo "Qualquer coisa a gente muda", conheceu um pouco melhor a artista e foi cativado pela mulher cuja frase: "Tem gente que nasce e morre e não sabe que viveu" é um despertar para a vida.
 
Foram realizadas dez oficinas durante o Festival. Alunos que participaram da oficina de intervenção urbana vão às ruas com a performance "Cegos"
A contribuição do Festival Palco Giratório não é só na formação de público. Nesta edição foram ministradas dez oficinas abrangendo desde o trabalho corporal do ator até iluminação cênica. Os alunos que participaram da oficina de intervenção urbana puderam aplicar o aprendizado nas principais ruas de Porto Velho com a intervenção urbana "Cegos", que atraiu olhares e questionamentos dos transeuntes.

Foram trinta e dois espetáculos diferentes e uma intervenção urbana só na capital, alcançando milhares de espectadores. A programação gratuita possibilitou o acesso do público rondoniense a uma multiplicidade cultural do é produzido em Rondônia, nas regiões brasileiras e até em outros países.
 
Equipe do Festival Palco Giratório 
A equipe de produção do Festival Palco Giratório formada por Fabiano Barros, Marya Braga, Tamires Paiva, Cristina Olegária, Cláudio Zarco com a ajuda dos técnicos Osias Cardoso, Davi Macieira e Dino, não mediu esforços para a realização do Palco Giratório, empenho reconhecido por artistas e público.


Foi um mês intenso, multicultural. Um encontro entre o público e as artes cênicas. Já estamos no aguardo de Setembro de 2015 para conhecer as novidades da 8ª edição do Festival Palco Giratório.

Postagens populares (5 mais recentes)