sábado, 27 de setembro de 2014

Festival Palco Giratório encerra neste final de semana com espetáculo rondoniense “As nove luas” e o internacional “Mãe Coragem”

Está chegando ao fim o Festival Palco Giratório. Sucesso de público na capital e interior, a programação encerra trazendo como espetáculos convidados “As nove luas” da Cia de Artes Fiasco (RO) e Mae Coragem  do Teatro a cuestas de Cuba (Cuba).
"As nove luas - Cia de Artes Fiasco" (RO)


“As nove luas”
O espetáculo propõe estabelecer uma reflexão sobre a cosmologia indígena a partir da “lenda do boto” e como essa mitologia serve para justificar abusos sofridos por meninas ribeirinhas. O trabalho permite dialogar esses universos com a estética do teatro contemporâneo criado a partir de relatos reais uma encenação singular no intuito de instigar a reflexão sobre essa realidade. O espetáculo foi contemplado com o Prêmio Funarte de Teatro Myriam Muniz 2013.
Mãe Coragem - Teatro a cuestas de Cuba (Cuba)


Mãe coragem
Em 1624, durante a Guerra dos Trinta Anos, a comerciante Anna Fierling, mais conhecida como “Mãe Coragem”, atravessa as estradas da Alemanha Central, seguindo os exércitos suecos na invasão da Polônia, levando uma carroça cheia de mercadorias, e tira proveito da guerra para o seu negócio... mas ela não vai sozinha leva consigo seus três filhos, dois meninos e Katrin, sua filha muda, adolescente. Mãe Coragem vive da guerra e é destruída pela própria guerra. Ela tem relações comerciais com os soldados, vendendo alimentos, roupas, bebidas e produtos de todos os tipos. Ela encontrou na guerra uma fonte de renda, a guerra é para sua conveniência, mas ao mesmo tempo é mãe, protetora de seus filhos e afirma que a guerra não ira tocá-los, mas como viver dentro desta máquina demolidora e evitar sua própria destruição? O espetáculo mostra um discurso que se refere à tragédia humana, dentro da guerra.
 
Barrica Poráguabaixo com Palhaça Barrica (SC)
Foto: Leonardo Valério
Sexta de gargalhadas
O início da noite desta sexta-feira foi de sorrisos. Famílias se reuniram para assistir as peripécias da Palhaça Barrica em “Barrica Poráguabaixo” (SC). A vontade de aproveitar o dia de folga para ir a praia rendeu boas gargalhadas no público que lotou o espaço do Teatro 1 do Sesc Esplanada.  A criançada interagiu o tempo inteiro dando dicas a atrapalhada Palhaça.




O espetáculo conquistou adultos e crianças, que ao final da apresentação se aglomeraram para registrar o momento e posar ao lado da Palhaça Barrica, que disse estar adorando circular pelo Brasil inteiro com através do Festival Palco Giratório. “A gente pode conhecer as paisagens todas, as pessoas. A gente pode apresentar o trabalho em vários lugares”, explica Barrica.

Programação
Data: 27/09
Espetáculo: As Nove Luas
Grupo: Cia de Artes Fiasco (RO) - Convidado
Local: Teatro 1– Sesc – Av. Pres. Dutra, 4175 - Olaria
Hora: 20h
Classificação: 16 anos

Data: 28/09
Espetáculo: Mãe Coragem
Grupo: Teatro a Cuestas de Cuba de Cuba (Cuba)
Local: Teatro 1 Sesc – Av. Pres. Dutra, 4175 – Olaria
Hora: 20h

A programação do Palco Giratório continua até o dia 28 de setembro, com entrada gratuita. A retirada de ingressos tem início uma hora antes do espetáculo.


Acompanhe também pelo Facebook (https://www.facebook.com/palcogiratorioro) e Instagram (@sescro).

sexta-feira, 26 de setembro de 2014

Barrica Poráguabaixo no Festival Palco Giratório desta sexta

O espetáculo trata dos planos quase frustrados da Palhaça Barrica desejando ir à praia . Somente o desejo de ir já é um bom motivo para atrapalhações. Num lugr de proximidade com o público e utilizando recursos concretos e imaginários, a Palhaça lança mão de toda a sua graça e sensibilidade para realizar seu sonho vencendo os limites impostos pelos padrões a fim de alcançar o prazer e a alegria, em momentos de pura brincadeira consigo mesmo e com a plateia.
  
O controlador de tráfego aéreo
Nesta quinta-feira, 25, a Alfândega 88 encerrou sua participação no Festival Palco Giratório Rondônia trazendo uma dramaturgia baseada em história real. “O controlador de tráfego aéreo” é sobre a vida de um dos atores da companhia, Silvano Monteiro e teve como temática principal a busca pela felicidade. A mudança brusca na vida deste homem que renunciou a uma carreira pública e em meio a vários obstáculos acabou por morar nas ruas e encontrou na arte uma nova vida é emocionante e foi contado ao público num cenário onde elenco e público se misturam  numa roda de conversa.
 
O controlador de tráfego aéreo com Alfândega 88
Foto: Leonardo Valério

A peça discute também a triste situação dos moradores de rua e a história que carregam, como chegaram a essa situação. Muitos têm trajetórias interessantes, mas ninguém quer saber, pessoas invisíveis ao olhar da população em geral. Outro assunto discutido é a depressão, uma doença que poucos dão a devida importância, mas que acaba levando o indivíduo a atos inconsequentes.
 
"O controlador de tráfego aéreo" Alfândega 88
Foto: Eliane Viana
O bate-papo após o espetáculo complementou a apresentação, onde o ator revelou mais detalhes sobre sua história. Hoje ele é estudante de artes cênicas e diz que se sente honrado ao levar sua história para que as pessoas conheçam e reflitam sobre essa realidade que pode acontecer com qualquer pessoa.

Programação
Data: 26/09
Espetáculo: Barrica Poráguabaixo (Circo)
Grupo: Palhaça Barrica (SC)
Local: Teatro 1 Sesc – Av. Pres. Dutra, 4175 - Olaria
Hora: 19h
Duração: 45 minutos
Classificação: Livre

Data: 27/09
Espetáculo: As Nove Luas
Grupo: Cia de Artes Fiasco (RO) - Convidado
Local: Quadra coberta – Sesc – Av. Pres. Dutra, 4175 - Olaria
Hora: 20h

Data: 28/09
Espetáculo: Mãe Coragem
Grupo: Teatro a Cuestas de Cuba de Cuba (Cuba)
Local: Teatro 1 Sesc – Av. Pres. Dutra, 4175 – Olaria
Hora: 20h

A programação do Palco Giratório continua até o dia 28 de setembro, com entrada gratuita. A retirada de ingressos tem início uma hora antes do espetáculo. 

quinta-feira, 25 de setembro de 2014

História real inspira "O controlador de tráfego aéreo" com o grupo Alfândega 88 nesta quinta-feira



O controlador de tráfego aéreo - Foto: Guga Melgar

O grupo Alfândega 88 volta aos palcos do Teatro 1 para contar uma história surpreendente. O controlador de tráfego aéreo parte da trajetória de vida de um dos atores da companhia, Silvano Monteiro, que trabalhou na Força Aérea e, após sofrer alguns revezes, tornou-se morador de rua. Composta por textos com reflexões sobre a tênue linha que divide as fronteiras entre os homens, suas regras e valores sociais e, por fim, entre vida e morte, a peça é uma sobre a corrida que cada um de nós empreende em busca da felicidade. O espetáculo se desenrola com atores e espectadores juntos no palco, como uma espécie de versão teatral de uma roda de samba, ou roda de choro, em que os participantes são, ao mesmo tempo, espectadores e criadores artísticos do ato.
"Labirinto" com Alfândega 88 - Foto: Leonardo Valério

Labirinto
Nesta quarta-feira (24) o grupo Alfândega 80 interpretou textos de José Joaquim de Campos Leão, conhecido como Qorpo Santo (1829 - 1883). Em cena doze atores interpretaram três peças do autor: A separação dos esposos, as relações naturais e hoje sou um e amanhã outro. Em bate-papo após o espetáculo os atores explicaram que o texto foi encenado integralmente, inclusive a assinatura do escritor.
 
"Labirinto" com Alfândega 88 - Foto: Leonardo Valério
Em cena doze atores ocupam todo o espaço num cenário ambientado na década de 1960, em referência a época em que começam ser encenadas as peças de Qorpo Santo. Considerado precursor do Teatro do Absurdo Qorpo Santo foi um visionário e objeto de estudo do grupo. Sua dramaturgia discute questões sociais que até que continuam sendo temas polêmicos como a emancipação feminina e a diversidade sexual. O grupo esclarece que foi na obra literária de Qorpo Santo que surgiu o primeiro beijo entre pessoas do mesmo sexo.

"Labirinto" com Alfândega 88 - Foto: Leonardo Valério
O espetáculo mostra a diversidade na programação desta edição do Festival Palco Giratório que trouxe a Rondônia produções que não só entretém o público, mas que propõe a discussão e reflexão dos mais variados temas.

Oficinas
Nesta quinta-feira "Iniciação a palhaçaria" com a palhaça Barrica (SC), encerrou a programação de oficinas desta 7ª edição do Festival Palco Giratório. Ao todo foram promovidas dez oficinas envolvendo diversas áreas das artes cênicas. Para os participantes uma oportunidade única.  Michel Pereira de Sousa, estudante participou de várias oficinas. "Não é sempre que a gente pode ter e quando tem essa diversidade de pessoas dos mais diversos polos do teatro, do circo, da dança, nos instruindo a vários tipos de produção de arte tem que aproveitar". Bruno Bezerra trabalha com psicologia e faz teatro e dança, participou de três oficinas e diz que o mais marcante foi o envolvimento dos oficineiros com os alunos, que além de compartilharem técnicas dividem sentimentos. "Eles compartilham parte do que eles são, eles se mostram e isso eu tenho visto em todas as oficinas que eu tenho feito do Palco Giratório".
Participantes da oficina "Iniciação a Palhaçaria"


Programação
Espetáculo: O Controlador de Tráfego Aéreo (Teatro adulto)
Grupo: Alfândega 88 (RJ)
Local: Teatro 1 Sesc – Av. Pres. Dutra, 4175 - Olaria
Hora: 20h
Duração: 70 minutos
Classificação: Livre

Data: 26/09
Espetáculo: Barrica Poráguabaixo (Circo)
Grupo: Palhaça Barrica (SC)
Local: Teatro 1 Sesc – Av. Pres. Dutra, 4175 - Olaria
Hora: 19h
Duração: 45 minutos
Classificação: Livre

Data: 27/09
Espetáculo: As Nove Luas
Grupo: Cia de Artes Fiasco (RO) - Convidado
Local: Quadra coberta – Sesc – Av. Pres. Dutra, 4175 - Olaria
Hora: 20h

Data: 28/09
Espetáculo: Mãe Coragem                                       
Grupo: Teatro a Cuestas de Cuba de Cuba (Cuba)
Local: Teatro 1 Sesc – Av. Pres. Dutra, 4175 – Olaria
Hora: 20h

quarta-feira, 24 de setembro de 2014

“Labirinto” na programação do Festival Palco Giratório desta quarta-feira

"Labirinto" da Alfândega 88, em cartaz hoje
Foto: Guga Melgar

"Labirinto", espetáculo teatral idealizado e dirigido por Moacir Chaves, é o primeiro realizado com sua companhia de teatro – Alfândega 88 -, com textos do consagrado autor gaúcho José Joaquim de Campos Leão – Qorpo Santo: Hoje sou um, e amanhã outro. As relações naturais e a separação de dois esposos. Gênio visionário, o autor antevê em décadas questões formais que só encontrariam sua expressão máxima na dramaturgia que veio a ser conhecida, em meados do século 20, como o Teatro do Absurdo. Sua obra antecipa questões de forte cunho humano e social, como liberdade sexual, direito ao prazer, emancipação feminina, dentre várias outras que, assustadoramente, permanecem contundentes e atualíssimas.

Uma flor de dama
O Teatro 1 do Sesc Esplanada ficou lotado para receber o espetáculo apresentado nesta terça-feira, 23, pelo Coletivo Artístico As Travestidas (CE). O monólogo "Uma flor de dama" mostrou as dificuldades do personagem vivido por Silvero Pereira, que traduz a realidade de muitos travestis. Ao apagar das luzes de boates, onde reina o glamour, muitos precisam ir às ruas se prostituir. Numa mesa de bar, bebendo uma cerveja quente, foram expostas todas as dores e o preconceito de uma vida cheia de obstáculos. Em cinquenta minutos são abordados temas como prostituição, abuso sexual, pedofilia, fé, preconceito e abandono.
"Uma flor de dama" do Coletivo Artístico "As Travestidas"
Foto: Leonardo Valério

O monólogo foi criado há doze anos e já está com aproximadamente 600 apresentações. A dramaturgia baseada no conto "Dama da noite" do escritor Caio Fernando Abreu, com adaptação de Silvero Pereira, é uma mistura de ficção e realidade, já que ao texto estão incorporados relatos de personagens reais, incluindo a do próprio ator.
"Uma flor de dama" Coletivo Artístico "As Travestidas"
Foto: Leonardo Valério
Após o espetáculo em conversa com a plateia, integrantes do Coletivo falaram sobre o trabalho desenvolvido no Ceará e como a arte mudou a vida de muitos. O convite para participar da circulação no Festival Palco Giratório leva esse trabalho a estados onde não seria possível sem esse apoio. Silvero Pereira ressalta a seriedade do projeto. "O Palco Giratório é um projeto muito importante para o país todo, uma contribuição gigantesca para as pessoas que trabalham com arte, para o público em geral que consegue ter uma dimensão do trabalho artístico teatral realizado no país".
"Uma flor de dama" - Coletivo Artístico As Travestidas
Foto: Leonardo Valério


Oficinas
Encerra nesta quinta-feira a programação de oficinas promovidas durante o Festival Palco Giratório. “Iniciação a palhaçaria” com palhaça Barrica (SC) tem como objetivo realizar uma iniciação à linguagem do palhaço /clown, estabelecendo um diálogo entre teoria e prática a fim de descobrir a comicidade individual e a propensão ao riso. Através de jogos e técnicas clownescas propõe uma forma diferenciada de se relacionar com o corpo na cena e com a máscara, o nariz de palhaço. A oficina é gratuita e todos os interessados a partir de 16 anos podem participar.

Programação
Data: 24/09
Espetáculo: Labirinto (Teatro adulto)
Grupo: Alfândega 88 (RJ)
Local: Teatro 1 Sesc – Av. Pres. Dutra, 4175 - Olaria
Hora: 20h
Duração: 90 minutos
Classificação: 14 anos

Data: 25/09
Oficina: Iniciação à palhaçaria
Grupo: Palhaça Barrica (SC)
Local: Tapiri - O Imaginário - Rua Franklin Tavares, 1349 Bairro Pedrinhas
Hora: 09h às 13h

Data: 25/09
Espetáculo: O Controlador de Tráfego Aéreo (Teatro adulto)
Grupo: Alfândega 88 (RJ)
Local: Teatro 1 Sesc – Av. Pres. Dutra, 4175 - Olaria
Hora: 20h
Duração: 70 minutos
Classificação: Livre
Número de lugares limitados: Serão distribuídos 60 convites.
A programação do Palco Giratório continua até o dia 28 de setembro, com entrada gratuita. A retirada de ingressos tem início uma hora antes do espetáculo.

Acompanhe também pelo Facebook (https://www.facebook.com/palcogiratorioro) e Instagram (@sescro).

terça-feira, 23 de setembro de 2014

Última semana do Festival Palco Giratório


Desde o dia 31 de agosto o Sistema Fecomércio Rondônia, através do Sesc promove uma diversidade de espetáculos dentro do Festival Palco Giratório. O mês de setembro já se tornou referência como o mês que o teatro invade Rondônia. As apresentações incluem dança, teatro, circo. São grupos de vários estados brasileiros que apresentam em Rondônia a variedade de talentos que o país possui.

Nesta segunda-feira dois espetáculos demonstraram a riqueza cultural de nosso país. No Tapiri – O Imaginário foi apresentado Louça Cinderella, da Cia Gente Falante (RS) em duas sessões e no Teatro 1 do Sesc Esplanada o grupo rondoniense Boi de Piranha apresentou “Boi de Piranha”.
 
Louça Cinderella - Cia. Gente Falante
Foto: Leonardo Valério
Louça Cinderella apresenta o clássico dos irmãos Grimm de uma maneira lúdica. A Cia Gente Falante utiliza o teatro de objetos para contar a história da Gata Borralheira, uma dos mais conhecidos dos contos de fada. A apresentação encanta a todos, pois propõe a redescoberta das brincadeiras, da utilização de objetos para representação de histórias e acionam a imaginação de crianças e adultos. que
 
Louça Cinderella - Cia Gente Falante
Foto: Leonardo Valério
Em bate papo realizado após a apresentação, Paulo Martins Fontes e Eduardo Custódio explicam que o espetáculo é fruto de uma pesquisa de dez anos sobre animação e que o objetivo é resgatar essa forma de diálogo através das brincadeiras com a utilização de objetos.  
 
Boi de Piranha, grupo Boi de Piranha (RO)
“Boi de Piranha” aborda a chegada do nordestino a Rondônia para extração da Borracha. O chamado “ouro branco” atraiu muitas famílias que se sacrificaram e não tiveram o retorno prometido. Com texto e direção de Francis Madison, os atores Eules Lycaon, Gisele Stering e Ana Paula Venâncio contam essa história de luta e emocionam a plateia para um passado recente, onde muitos “soldados da borracha” ainda trazem as marcas desse trabalho.
 
Boi de Piranha, grupo Boi de Piranha (RO)
Foto: Leonardo Valério
O funcionário público Mário Ganarra vem acompanhando as últimas apresentações do Festival e diz que está achando interessante pela diversidade e pelos atores de outros estados. Roberto Carvalho, professor e funcionário público também aprovou. “Achei muito interessante, você tem vários espetáculos. Eu acho que é um público diversificado que está vindo todo dia. Estão tendo peças de tipos e diversas oficinas. Acho que o público artístico e o público que aprecia cultura em geral está muito satisfeito com esse trabalho”.

Uma flor de dama
Hoje o Coletivo Artístico as Travestidas (CE) apresenta "Uma flor de dama". Uma noite na vida de uma travesti: momento em que entra no camarim e se prepara para fazer um show até ir às ruas prostituir-se. No fim da noite, sentada no bar tomando a última e quente cerveja, fala sobre sua vida, suas escolhas, seus amores, seus desejos, seu ódio. A vida dessa personagem, criada a partir de uma pesquisa de campo traz à cena questões como HIV, política, preconceito, e, especialmente as escolhas que a vida dos oferece (ou das quais nos priva).
Uma flor de dama - Coletivo Artístico as Travestidas (CE)

Programação
Data: 23/09
Oficina: Iluminação Cênica
Grupo: Alfândega 88 (RJ)
Local: Tapiri - O Imaginário - Rua Franklin Tavares, 1349 Bairro Pedrinhas
Hora: 09h às 12h e 14h às 17h

Data: 23/09
Espetáculo: Uma Flor de Dama (Teatro adulto)
Grupo: Coletivo Artístico As Travestidas (CE)
Local: Teatro 1 Sesc – Av. Pres. Dutra, 4175 - Olaria
Hora: 20h
Duração: 50 minutos
Classificação: 18 anos

Data: 24/09
Espetáculo: Labirinto (Teatro adulto)
Grupo: Alfândega 88 (RJ)
Local: Teatro 1 Sesc – Av. Pres. Dutra, 4175 - Olaria
Hora: 20h
Duração: 90 minutos
Classificação: 14 anos

A programação do Palco Giratório continua até o dia 28 de setembro, com entrada gratuita. A retirada de ingressos tem início uma hora antes do espetáculo.


Acompanhe também pelo Facebook (https://www.facebook.com/palcogiratorioro) e Instagram (@sescro).

segunda-feira, 22 de setembro de 2014

Palco Giratório apresenta dois espetáculos nesta segunda-feira


Dois espetáculos fazem parte da programação do Festival Palco Giratório nesta segunda-feira, Louça Cinderella, da Cia Falante (RS) e o Boi de Piranha, do grupo Boi de Piranha (RO).
 
Louça Cinderella - Foto: Vilmar Carvaho
Louça Cinderella é inspirado em Gata Borralheira dos Irmãos Grimm, escrita no século XIX, essa adaptação sintética da Cia. Gente Falante convertida em teatro narrativo de objetos conta  história de Cinderella, uma xícara de louça comum, sem adornos ou valor histórico, porém com conteúdo especial, sempre cheia de chás aromáticos e curativos prontos para esquentar quem estivesse necessitado em noites frias do inverno. Uma divertida e poética adaptação brasileira criada para compartilhar com o pequeno público as delícias de um “chá das cinco”
Boi de Piranha - Foto: Divulgação
Boi de Piranha é ambientado durante a Segunda Guerra Mundial, quando mais de 60 mil nordestinos foram alistados compulsoriamente em um esforço de guerra brasileiro que os levaria a trocar a árida geografia do sertão pelas terras alagadas da Amazônia. A missão dos “soldados da borracha”, como ficaram conhecidos, era extrair o látex da seringueira para a produção da goma elástica que abasteceria os países aliados. Para alguns recrutas, no entanto, essa seria uma viagem sem volta; com o fim do conflito, eles foram entregues a própria sorte, em uma terra estranha e os que sobreviveram só tiveram seus direitos assegurados muito tempo depois

Cidade dos Outros
Domingo foi com casa cheia para prestigiar o espetáculo “Cidade dos Outros” da Cia Pessoal de Teatro (MT). Numa narrativa que conta a história de dois personagens fazendo planos para gastar o dinheiro de loteria, que se porventura ganhassem, a apresentação permeia o desejo do ser humano em esperar os acontecimentos sem buscar outras alternativas para fazer com que a vontade se transforme em realidade. As atrizes Tatiana Horevischt e Juliana Capilé traduzem em cena o eterno esperar de cada indivíduo. Essa espera que é angustiante e provoca um riso nervoso na plateia.
 
Cidade dos Outros - Cia Pessoal de Teatro (MT)
Foto: Leonardo Valério
Juliana Capilé, atriz e dramaturga do espetáculo, diz que é uma honra participar do Festival Palco Giratório, pela grandeza do projeto que circula o país inteiro e que em Porto Velho a receptividade do público e da equipe do Sesc fez toda a diferença. “A gente tem equipes competentes em outros lugares, mas nem sempre afetuosos” e finaliza agradecendo “Quero parabenizar a equipe do Sesc que são não só competentes, mas afetuosos”
Cidade dos Outros - Cia Pessoal de Teatro
Foto: Leonardo Valério

Oficinas
Nesta última semana do Festival Palco Giratório estão programadas mais duas oficinas. O Grupo Alfândega 88 (RJ) ministra a oficina “Iluminação Cênica” no dia 23 (terça-feira). A oficina versará sobre a História da Iluminação: conhecimentos básicos da trajetória da utilização da iluminação artificial para as artes cênicas e a iluminação cênica no Brasil. Os refletores mais utilizados no Teatro Brasileiro e suas principais características. Noções básicas de cor, luz e pigmento.

E encerrando a programação de oficinas tem “Iniciação a palhaçaria” com palhaça Barrica (SC). A oficina tem como objetivo realizar uma iniciação à linguagem do palhaço /clown, estabelecendo um diálogo entre teoria e prática a fim de descobrir a comicidade individual e a propensão ao riso. Através de jogos e técnicas clownescas propõe uma forma diferenciada de se relacionar com o corpo na cena e com a máscara, o nariz de palhaço.

Programação
Data: 22/09
Espetáculo: Louça Cinderella (Teatro de objetos)
Grupo: Cia. Gente Falante (RS)
Local: Tapiri – O Imaginário – Rua Franklin Tavares, 1349 Bairro Pedrinhas
Hora: 18h30 e 19h30
Duração: 20 minutos
Classificação: Livre

Data: 22/09
Espetáculo: Boi de Piranha
Grupo: Grupo Boi de Piranha (RO) - Convidado
Local: Teatro 1 Sesc Esplanada – Av. Pres. Dutra, 4175 - Olaria
Hora: 20h30min

Data: 23/09
Oficina: Iluminação Cênica
Grupo: Alfândega 88 (RJ)
Local: Tapiri - O Imaginário - Rua Franklin Tavares, 1349 Bairro Pedrinhas
Hora: 09h às 12h e 14h às 17h

A programação do Palco Giratório continua até o dia 28 de setembro, com entrada gratuita. A retirada de ingressos tem início uma hora antes do espetáculo.

Acompanhe também pelo Facebook (https://www.facebook.com/palcogiratorioro) e Instagram (@sescro).

Postagens populares (5 mais recentes)