domingo, 21 de setembro de 2014

“Qualquer coisa a gente muda” emociona público de Porto Velho

Angel Vianna em cena no espetáculo "Qualquer coisa a gente muda" (RJ)
Foto: Leonardo Valério

Nesta sexta e sábado o público de Porto Velho prestigiou o talento das bailarinas Angel Vianna e Maria Alice Poppe durante o espetáculo “Qualquer coisa a gente muda” apresentado no Teatro 1 do Sesc Esplanada. Em cena a leveza e força de duas gerações unidas pelo amor a dança e a vida. O espetáculo trouxe a vitalidade e experiência de Angel Vianna, que com 86 anos de idade se dedica ao estudo do corpo e suas possibilidades. Maria Alice Poppe completa esse cenário de celebração a vida com graça e beleza.
 
"Qualquer coisa a gente muda", com Angel Vianna e Maria Alice Poppe (RJ)
Foto: Leonardo Valério
O espetáculo “Qualquer coisa a gente muda” foi criado em 2010, sob a direção de João Saldanha. Durante o Pensamento Giratório realizado a apresentação, Angel Vianna explicou que não imaginou a dimensão que o espetáculo iria ganhar, pois foi idealizado para o Fórum Internacional de Dança de Belo Horizonte e hoje, com quatro anos, o trabalho percorre as cidades do país onde acontece o Festival Palco Giratório.
 
"Qualquer coisa a gente muda" com Angel Vianna e Maria Alice Poppe (RJ)
Angel Vianna é considerada a dama da dança no Brasil e seu trabalho é reconhecido em todo país, através da Escola e Faculdade de dança que leva o seu nome. A bailarina e coreografa busca a valorização da vida em tudo que faz e desempenha um trabalho especial junto aos deficientes físicos, incutindo a importância do movimento em cada um deles. Quando questionada sobre a fonte de tanta energia Angel Vianna responde que o corpo é um instrumento maravilhoso e precisa de movimento e completa: “Tem gente que nasce e morre e não sabe que viveu”.
 
"Qualquer coisa a gente muda" com Angel Vianna e Maria Alice Poppe (RJ)
Maria Alice Poppe foi aluna de Angel Vianna e hoje divide o palco como colega da bailarina, com uma intimidade que fica evidente em cena na troca de carinhos que acontece durante o espetáculo. Maria Alice ressalta que Angel é uma pessoa inquieta que busca sempre ajudar os outros e descobrir novas formas de trabalhar o corpo. "Ela é essa pessoa muito pura, que está procurando, está sempre descobrindo coisas no corpo dela, no corpo dos outros e assim que ela ajuda os alunos dela, que tiveram a oportunidade de conviver com ela de estar sempre nessa procura constante, porque o corpo não para, ele está sempre se transformando”, diz. A passagem de Angel Vianna, homenageada do Festival Palco Giratório deste ano deixará saudades porque acima de tudo foi uma lição de vida para quem assistiu “Qualquer coisa a gente muda”.
"Qualquer coisa a gente muda" com Angel Vianna e Maria Alice Poppe (RJ)


Espetáculos
Neste domingo a Cia. Pessoal de Teatro apresenta o espetáculo “Cidade dos Outros”. A peça Cidade dos Outros, inspirada em Beckett, fala da circularidade da vida, da inapetência para a ação e da eterna espera pelo maná divino. Em cena, dois personagens famintos, amarrados um ao outro passam seu tempo fazendo planos sobre como gastarão os “milhões” quando ganharem na loteria. A vida dos dois se resume à espera e ao sonho.

Enquanto aguardam o resultado, conversam sobre banalidades e observações do dia a dia de um lugar-cidade. A vida é cíclica, sem propósito, vazia, entediante e tende a se deteriorar cada vez mais. É um jogo que deve ser vencido a qualquer custo, mas o que pretende se ganhar?

Oficinas
Nesta sexta e sábado o grupo Cia Pessoal de Teatro (MT) ministrou a oficina Dramaturgia da Cena. Um grupo de aproximadamente vinte e cinco pessoas participou e pôde ter a percepção de seus corpos e a importância de cada movimento durante em cena. O professor disse que foi um encontro maravilhoso com pessoas queridas, com a estética, com novos atores e uma experiência ótima como pesquisa. “Bom particularmente eu tenho muito medo de atuar, eu sou um diretor, um professor muito racional e me senti tão a vontade enquanto ator, enquanto pesquisador que eu busquei alguma coisa em mim que essa oficina despertou. Então essa dramaturgia da cena, que parte do corpo, que parte do ator, da descoberta ela é deliciosa. Para o ator é fundamental essa descoberta, essa pesquisa porque ela é difícil e encontrar o difícil na arte é muito complicado e ao mesmo tempo muito prazeroso”.
 
Participantes da oficina "Dramaturgia da Cena" com a Cia Pessoal de Teatro (MT)
Foto: Eliane Viana
Nesta última semana do Festival Palco Giratório estão programadas mais duas oficinas. O Grupo Alfândega 88 (RJ) ministra a oficina “Iluminação Cênica” no dia 23 (terça-feira). A oficina versará sobre a História da Iluminação: conhecimentos básicos da trajetória da utilização da iluminação artificial para as artes cênicas e a iluminação cênica no Brasil. Os refletores mais utilizados no Teatro Brasileiro e suas principais características. Noções básicas de cor, luz e pigmento.

E encerrando a programação de oficinas tem “Iniciação a palhaçaria” com palhaça Barrica (SC). A oficina tem como objetivo realizar uma iniciação à linguagem do palhaço /clown, estabelecendo um diálogo entre teoria e prática a fim de descobrir a comicidade individual e a propensão ao riso. Através de jogos e técnicas clownescas propõe uma forma diferenciada de se relacionar com o corpo na cena e com a máscara, o nariz de palhaço.

Programação
Data: 21/09
Espetáculo: Cidade dos Outros (Teatro adulto)
Grupo: Cia Pessoal de Teatro (MT)
Local: Teatro 1 Sesc - Av. Pres. Dutra 4175 – Porto Velho/RO
Hora: 20h
Duração: 50 minutos
Classificação: 12 anos

Data: 22/09
Espetáculo: Louça Cinderella (Teatro de objetos)
Grupo: Cia. Gente Falante (RS)
Local: Tapiri – O Imaginário – Rua Franklin Tavares, 1349 Bairro Pedrinhas
Hora: 18h30 e 19h30
Duração: 20 minutos
Classificação: Livre

Data: 22/09
Espetáculo: Boi de Piranha
Grupo: Grupo Boi de Piranha (RO) - Convidado
Local: Teatro 1 – Av. Pres. Dutra, 4175 - Olaria
Hora: 20h30min

Data: 23/09
Oficina: Iluminação Cênica
Grupo: Alfândega 88 (RJ)
Local: Tapiri - O Imaginário - Rua Franklin Tavares, 1349 Bairro Pedrinhas
Hora: 09h às 12h e 14h às 17h

A programação do Palco Giratório continua até o dia 28 de setembro, com entrada gratuita. A retirada de ingressos tem início uma hora antes do espetáculo.


Acompanhe também pelo Facebook (https://www.facebook.com/palcogiratorioro) e Instagram (@sescro).

Nenhum comentário:

Postar um comentário

O blog do Sesc Rondônia tem por prioridade divulgar as ações e processos da instituição dando respostas a respeito da programação de eventos e outros, não sendo o canal administrativo para o recebimento de reclamações oficiais, reservando-se ao direito de não publicar mensagens que em sua essência contenham mensagens de cunho injurioso ou com linguagem depreciativa. Os usuários ou outros que desejarem fazer reclamações formais ao Sesc poderão entrar em contato com a administração regional em Porto Velho/RO e encaminhar suas considerações.

Postagens populares (5 mais recentes)