sexta-feira, 23 de setembro de 2016

Idosos tem uma semana de atividades especiais no Sesc



Em comemoração aos 70 anos de implantação do Sesc no Brasil e 25 anos de Trabalho Social com os Idosos (TSI) em Rondônia, o Sistema Fecomércio por meio do Sesc promoverá o projeto Semana do Idoso, que terá uma semana de atividades esportivas, culturais e recreativas aos idosos do Grupo da 3ª idade e convidados. A programação terá início no dia 25 de setembro, e contará com uma mobilização para incentivar a prática de atividades físicas aos detentores da Terceira idade, promovendo assim um envelhecimento saudável. A ação está prevista para às 16h, no Espaço Alternativo com apresentação dos integrantes da oficina do movimento do Sesc.

O objetivo do projeto Semana do Idoso é fomentar e potencializar a participação da pessoa idosa e integrá-las nas diversas atividades oferecidas, as quais proporcionam motivação, vivência comunitária e troca de experiências com idosos de todo o Estado de Rondônia. De acordo com o Presidente do Sistema Fecomércio-Sesc-Senac-IFPE, a Semana do Idoso conta com a participação de 1mil idosos. “Atualmente fazem parte do grupo da 3ª idade do Sesc cerca de 430 pessoas. Eles já participam de atividades em grupo diariamente. A Semana do idoso é uma oportunidade de estendermos a ação ao público de toda comunidade rondoniense.  Nossas atividades nestes 7 dias serão todas adaptadas e assistidas por profissionais com o cuidado e carinho que o idoso merece. Procure a coordenação de assistência do Sesc para poder participar do projeto, pois você idoso é o nosso convidado de honra”. Ressaltou Raniery Araujo Coelho.

A programação inclui missa em ação de graças, apresentações artísticas, musicais, campeonatos esportivos, oficinas, massagem, dança, palestras, gincanas, sessões de embelezamento, além de atividades de educação e saúde, que englobam aferição de pressão arterial e testes de glicemia. As atividades se encerram no dia 1 de outubro, com a parceria da Pastoral da Pessoa Idosa, Grupo Executivo de Assistência Patronal (GEAP), Governo do Estado e da Prefeitura de Porto Velho. O desfecho das ações se dará com uma animada caminhada que sairá da praça Aluísio Ferreira com destino ao Sesc, finalizando com muita música e dança.


Reta final do maior festival de teatro da região norte, Palco Giratório

Falta pouco para encerrar o Festival Palco Giratório. O último espetáculo "Why the horse" (Por que o cavalo?), acontece nos dias 24 e 25 de setembro no Sesc Esplanada tem a participação da atriz e diva do teatro brasileiro, Maria Alice Vergueiro, homenageada nacionalmente pelo Sesc através do projeto Palco Giratório.
Maria Alice Vergueiro interpreta própria morte em "Why the horse?" 


Homenagem à Maria Alice Vergueiro 
 
Além de atriz, Maria Alice Vergueiro é pedagoga e professora. Ela integrou o Teatro Oficina, participou de suas montagens mais radicais (O Rei da Vela), fundou o irreverente grupo Ornitorrinco (com Cacá Rosset), interpretou as principais peças de Brecht (Mãe Coragem) e fez um extraordinário Beckett (Katastrophé, 1986), elogiado por críticos do porte de Alfredo Mesquita (1907-1986), que classificou sua atuação na peça de “espantosa”. “Sua história se confunde com a própria história do moderno teatro brasileiro. Ela é, sem dúvida, um dos grandes nomes das artes cênicas nacional e nada mais justo que prestarmos a nossa homenagem e reconhecimento”, reforça Márcia Rodrigues. 
 
Após, seis meses no hospital, instigada pelo tema da morte e reconhecendo seu próprio e natural receio diante do fim, Maria Alice Vergueiro convocou seus parceiros de grupo Pândega de Teatro para a criação de um espetáculo em que pudesse ensaiar seu derradeiro momento. Surgiu, então, o “Why The Horse?” nos palcos.  “Mas o que eu acho interessante é que, mesmo quando eu estou lá no velório, eu não fico propriamente querendo imitar a morta. Eu gosto de me tornar acessível às pessoas que vão me ver, que vão perto, que às vezes cantam músicas no meu ouvido”, revela Vergueiro. 
 
Em 2006, Maria Alice ganhou destaque após o vídeo Tapa Na Pantera ter mais de 6 milhões de visualizações no YouTube (Tapa na Pantera). No curta, ela retrata a história de uma senhora que fuma maconha há 30 anos e nunca ficou viciada. 
 




Postagens populares (5 mais recentes)